Notícias Política

Vergonhoso: Prefeitura de Itabaiana já pagou mais de R$ 300 mil em 2020 e R$ 1,5 milhão ao total no cabide de empregos de Valmir e Adailton Sousa.

Itabaiana, município admirado pela veia empreendedora de seu povo, se encontra em um cenário de corrupção política e desrespeito a população. Ocupação de cargo irregular e professores contratados dispensados em meio a pandemia, sem receber suas verbas trabalhistas, é o que faz do atual prefeito da cidade Valmir de Francisquinho e o candidato a prefeito nas eleições de 2020, Adailton Sousa, ilegais perante a lei e sem compromisso para com os itabaianenses.

De acordo com a folha de pagamento do Portal da Transparência de Itabaiana, desde a primeira eleição do atual prefeito, no ano de 2013 até este ano de 2020, Valmir de Francisquinho vai de contramão com a lei, empregando uma quantidade significativa de sua família, dificultando a contratação de terceiros. Ainda de acordo com dados da folha, o mesmo aponta excesso de contratação familiar por parte do candidato a prefeito Adailton Sousa, do partido liberal (PL), apoiado pelo atual prefeito do município. 

Além do número abusivo de contratação, há também uma quantidade exorbitante no salário base dos “servidores”, ou seja, recebe mais que o permitido. A exemplo disso, é possível observar que os salários mostrados na imagem anexada a matéria não condiz com o piso salarial estipulado pelo órgão público. Ítalo Michel da Costa, chefe de gabinete e sobrinho de Valmir, por sua vez, recebe por mês R$ 9.178,60. Já os filhos de Adailton Sousa, Brayon Sousa e Nicholas Sousa recebem R$ 3.475,94 e R$ 2.224,61, respectivamente.

Enquanto muitos se beneficiam com boas remunerações de ambas as partes, a classe docente contratada sofre com a ausência de pagamento desde março de 2020. É válido ressaltar que os educadores contratados foram dispensados, no entanto, não receberam as suas rescisões trabalhistas, mesmo em meio a pandemia e crise salarial. Além disso, os mesmos não estão tendo acesso aos auxílios básicos e perante tais irregularidades para com os professores, o SINTESE se manifestou, “Enquanto há esse descaso com professores contratados, o prefeito Valmir de Francisquinho e o candidato dele, Adailton Sousa, fazem uma farra na prefeitura empregando parentes. Já pagaram mais de R$ 1,5 milhão somente nesse mandato. Esse ano já são mais de R$ 300 mil pagos em salários”.

É possível salientar diante de tais fatos, que a cidade se encontra em uma situação de desordem por parte da gestão, que há anos vem mascarando a transparência, usando a prefeitura como dinastia.

Deixe um comentário